Sahifa fully responsive WordPress News, Magazine, Newspaper, and blog ThemeForest one of the most versatile website themes in the world.
Vitorioso II Congresso emociona com homenagem para ALN e destaca mudanças estatutárias
julho 25, 2018
Ciro Gomes vem aí: camaradas entregam propostas ao programa de Ciro
julho 27, 2018

[Coluna RS] O Rio Grande tem solução! Jairo Jorge governará para o povão!

Na noite de ontem, 26 de julho, no Teatro Dante Barone (Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul), foi confirmada a candidatura de Jairo Jorge ao Governo do Estado do Rio do Rio Grande do Sul. A convenção do PDT (Partido Democrático Trabalhista) lotou as galerias do teatro, e foi marcada por fortes discursos no sentido da recuperação da capacidade produtiva do estado gaúcho.

Jairo Jorge foi firme na defesa do servidor público e no aperfeiçoamento da qualidade dos serviços públicos, que devem ser obrigatoriamente gratuitos. Mais que isso, Jairo reafirmou o seu compromisso com as estatais, dizendo um decisivo não às privatizações, propostas pelo Governo Sartori e defendidas abertamente pelo candidato tucano Eduardo Leite, então ex-prefeito de Pelotas.

Jairo Jorge fez uma prefeitura realizadora em Canoas, impulsionando aquele município aos melhores índices sociais e econômicos do estado gaúcho em 8 (oito) anos. Agora, com uma ampla frente, que tem um notório burguês agroindustrial no cargo de vice-governador (Claudio Bier/PV), Jairo pretende liderar a reconstrução do Rio Grande do Sul, que foi quebrado nos últimos 4 (quatro) anos pelo governo ultraliberal de José Ivo Sartori, cujas as principais marcas foram a ameaça privatista sobre as estatais e os salários atrasados e congelados dos servidores públicos.

Entre os principais postulantes progressistas (“de esquerda“) ao Palácio Piratini, Jairo Jorge é o que possui maior chance! Miguel Rossetto, do PT (Partido dos Trabalhadores), carregará o peso da inexperiência administrativa, o carimbo de ter proposto a reforma previdenciária no finado Governo Dilma, e principalmente o fardo do desgaste da legenda petista; já o companheiro trotskista Roberto Robaiana (PSOL) apresenta claramente uma candidatura de opinião, sem chance de êxito. Para além desses, não há outra candidatura progressista. Por isso, lutar pela eleição de Jairo é lutar pelo povo gaúcho!

Contudo, a batalha eleitoral não será fácil. As forças da reação e do atraso já iniciaram sua caçada contra Jairo. Ontem mesmo, curiosamente no mesmo dia da convenção do PDT, o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da Quarta Região) realizou o bloqueio dos bens de Jairo por conta de uma medida progressista de sua prefeitura em Canoas: redução da fila nos hospitais! Enfim, os reacionários das elites dominantes começaram a mexer suas peças no judiciário e na grande mídia para impedir a vitória de Jairo.

De qualquer modo, A Marighella, por meio de sua coluna gaúcha, compreende que a candidatura de Jairo Jorge ao Governo do Rio Grande do Sul é um sopro de esperança, de unidade e de amplitude. Habilidoso político, Jairo conseguiu efetivamente articular uma ampla frente pelo desenvolvimento econômico e por avanços populares. O Projeto Nacional e Popular, tão indispensável ao Brasil, possui seu representante eleitoral no Rio Grande: Ciro Gomes e Jairo Jorge vêm aí!

Sobre a disputa para o legislativo estadual, o Comitê da Coluna RS orienta voto para a deputada estadual Juliana Brizola (PDT), pois, eleger Juliana Brizola é uma necessidade histórica do povo do Rio Grande do Sul. Juliana marcou o seu recente mandato por uma oposição intensa ao Governo Sartori, inclusive, conduzindo o PDT finalmente para o lado certo, o da oposição a essa política privatista antipovo. Brizola vive, Juliana luta!

Sobre o voto para deputado federal, compreendemos a urgência da reeleição do deputado Pompeo de Mattos, um incansável trabalhista, que reconhecidamente pelo Rio Grande, sempre se posicionou e votou a favor da classe trabalhadora e dos interesses nacionais. Além disso, na agenda que definiria nosso apoio, Pompeo teve a humildade de realizar uma justificativa robusta e comprovada sobre a sua abstenção no processo de impeachment. É notória a falta de habilidade da ex-presidenta Dilma e da direção do PT no trato e diálogo com os seus aliados. E é normal que em momentos delicados como foi aquele, o calor do emocional fale mais alto. De qualquer modo, a abstenção na votação do impeachment resultava favorável à época a manutenção do finado governo Dilma, tanto é que Pompeo não foi punido internamente no PDT diferentemente dos deputados que votaram a favor do impeachment. Por tudo isso, brincando com o seu estilo gaudério, A Marighella agita e propaga: Seja chimango, seja maragato, pra deputado federal: vote Pompeo de Mattos!

Para o Senado Federal, são duas vagas. O primeiro objetivo é reeleger Paulo Paim, que embora seja do PT, tem exercido um mandato com amplitude e acerto político, e tem sido um senador combativo na defesa dos interesses da classe trabalhadora e na defesa dos interesses nacionais. Por isso, para Senador (primeira vaga), votaremos em Paulo Paim!

A segunda vaga ao senado deve ser decidida nas proximidades da eleição, devendo ser um voto útil contra a candidatura de Luis Carlos Heinze, pois o segundo objetivo é impedir que Heinze seja eleito! Quem tiver capacidade de impedir o êxito desse sujeito, ora representante de “tudo o que não presta“, deve ser votado! Assim, para Senador (segunda vaga), votaremos contra o Heinze!

Essas são as linhas e orientações gerais da A Marighella no Rio Grande do Sul.

Derrotar Sartori! Azedar o Leite! Apontar os limites de Rossetto! Avançar com Jairo!

O Rio Grande tem solução! Jairo Jorge governará para o povão!

Venceremos!


O Comitê Estadual da Coluna do Rio Grande do Sul da Organização A Marighella – Construção do Partido Revolucionário.

Porto Alegre, 27 de julho de 2018; ao centésimo sétimo ano de imortalidade do Comandante Carlos Marighella.

Editado em 23 de agosto de 2018.