Sahifa fully responsive WordPress News, Magazine, Newspaper, and blog ThemeForest one of the most versatile website themes in the world.

AÇÃO LIBERTADORA

SINDICAL

 
A Organização A Marighella resolve oficializar a criação do movimento Ação Libertadora Sindical (ALS) nesta Resolução IV. O texto seguinte serve de orientação da Setorial de Trabalhadores e Trabalhadoras da Construção do Partido Revolucionário sobre o movimento ALS.
 
 

A crise econômica, cada vez pior, tem afetado a vida de milhões de trabalhadores e trabalhadoras. No mundo inteiro, o sistema econômico favorece os ricos em detrimento dos pobres. A classe trabalhadora sofre nas mãos dos governantes, que para garantir os lucros dos banqueiros e os privilégios das elites dominantes, seguem a executar ajustes fiscais cortando direitos sociais historicamente conquistados com muita luta. Pois nenhum direito dos trabalhadores foi conquistado sem batalha, sem greve, sem demonstração de força da classe que tudo produz.

A burguesia, então classe detentora dos meios de produção, nada faz e tudo recebe. Obviamente com tamanho acúmulo de capital, com tanta acumulação de riquezas, o poder político ficaria nas mãos da burguesia. E assim está há muito tempo. Embora a brava gente brasileira, desde sempre, tenha combatido as injustiças sociais, as desigualdades e o servilismo de nosso país, fato é que ainda não conseguimos substancialmente avançar na luta pela emancipação da classe trabalhadora. Não se pode negar que diversas vitórias foram arrancadas da burguesia e das elites ao longo dos anos. Se pararmos para pensar que o povo brasileiro já teve que vencer a escravidão, notamos a grandeza e as dificuldades de nossas tarefas. Mas a vitória final, infelizmente, ainda está distante. E só com a organização consciente dos trabalhadores poderemos caminhar nesse sentido, para um dia honrar Zumbi, Marighella, Margarida Alves e tantas outras e outros heróis e heroínas do povo brasileiro.

A atualidade da luta sindical em nosso país demanda mais do que nunca enorme firmeza ideológica para combater o oportunismo de direita, o esquerdismo sectário e o reformismo conciliatório. A classe trabalhadora não chegará ao seu destino de plena dignidade e felicidade por meio de reformas limitadas. Aliás, a conciliação de classes encontrou-se há pouco em seu maior limite. Por outro lado, em meio a crise político-econômica, surgem aventureiros para surfar na indignação da classe trabalhadora apresentando um projeto notoriamente reacionário que visa o retrocesso de todas as conquistas da classe. Da mesma forma, o esquerdismo sempre coloca as necessidades urgentes dos trabalhadores em risco por conta dos seus devaneios.

Assim, o papel do movimento sindical que visa acumular forças para o processo de ruptura com o sistema político-econômico vigente é o papel da luta consequente contra os ajustes fiscais, é o papel da formação de consciência de classe e consciência revolucionária no seio dos trabalhadores, é o papel de preparação das massas que produzem a riqueza para a emancipação total.

A Ação Libertadora Sindical nasce enquanto instrumento da classe trabalhadora na longa caminhada do Socialismo Popular Brasileiro. E, para tanto, coloca-se à disposição do debate das Centrais Sindicais para decidir construir a mais vinculada com nosso combate. Precisamos efetivamente batalhar no processo de lutas atuais, sem, contudo, perder o horizonte maior da luta pelo Socialismo e pela Revolução. Sonhamos e lutamos por um Brasil e por um mundo verdadeiramente dos trabalhadores e das trabalhadoras!

Trabalhadores de todo o Brasil, uni-vos!

Trabalhadores de todo o mundo, uni-vos!

Por um Sindicalismo forte, unido, combativo, consequente e revolucionário!

Brasil, 29 de abril de 2015; aos 104 anos de imortalidade do Comandante Carlos Marighella.

Comando Nacional da Organização A Marighella

Responsive ThemeForest Wordpress Theme Avada bigtheme.net/wordpress/themeforest/323-avada BIGtheme.net